Avançar para o conteúdo principal

Surinamesas e Guianenses uni-vos!!

Porque todo mundo boicota o Suriname e as Guianas??
Já reparou?
 
Se eu fosse um cidadão de lá, faria uma revolução!!!
 
PS: Você sabia que a Guiana Francesa registra um alto índice de imigração ilegal, principalmente de brasileiros, haitianos, surinameses, atraídos pela possibilidade de obter renda em euros? Sim, lá a moeda é o EURO!! Chique no último!!

Comentários

Anónimo disse…
hehe...até eu já pensei em ir pra lá uma vez,mas desisti...
abraço michel
(e vê se n some tá?)
(e comenta meu blog tb....hehe)

Mensagens populares deste blogue

Desconstruindo o Crème Brûlée...

Essa deve ser a semana "Domingo tive pesadelo com o Crème Brûlée e vou me vingar na semana" do Mais Você!   Ontem, a Namaria Braga deu uma receita de um pudim invertido. Era invertido pq o creme era embaixo e em cima tinha a calda de caramelo que endurecia. E pra você comer, tinha que quebrar a casquinha.   Oras bolas... era o Crème Brûlée pobre e tapuia!!   Hoje a Flávia Quaresma estava lá, dando uma receita de Crème Brûlée de milho!!   Sim, meu povo! Crème Brûlée de milho verde!!!   E amanhã? Vamos fazer um bolão, ou melhor, um cremão pra saber qual vai ser o próximo assassinato do Crème Brûlée??   PS:Sobre coisas invertidas, eles pegaram a França para chacotas... Depois do Pudim Invertido ser o nome tapuia do Crème Brûlée, eles apelidaram de Torta de Maçã Invertida a famosa e deliciosa Tarte Tatin!  

O patinador Franco-Brasileiro em Sochi. Em Sochi?

Florent Amodio nasceu em Sobral, CE, e foi adotado por uma família francesa. Aconteceu dele ter virado um dos melhores patinadores da temporada. Nos últimos dias tem rodado por aí um vídeo de uma série dele ao som do  Eu quero tchu, eu quero tcha , do Gustavo Lima. Acontece que, diferentemente do que quase todo mundo está postando e comentando, isso nao foi em Sochi.  Aquela apresentação foi na Suíça, em fevereiro do ano passado.  Em Sochi, a música escolhida por ele foi La Cumparsita. Um tango, talvez o mais famoso deles.  Na nossa carência de heróis, estamos terceirizando.